sábado, 31 de dezembro de 2011

FELIZ ANO NOVO!!!


São os votos do Blog do Doc para todos que nos acompanharam em 2011. E que em 2012 nossas lutas possam nos trazer além da vitória, a satisfação do dever cumprido pra uma educação de qualidade e um Brasil mais justo para todos!
Grande abraço,
Doc Costa e família

A dor de cotovelo de Miriam Leitão

A coluna de Miriam Leitão hoje, em O Globo, não é, certamente, nada que deva entrar no cardápio da ceia de Ano Novo. Porque é fel puro, algo tão evidentemente odioso que entra nas raias da irracionalidade e do ridículo.

Ela desdenha da situação de solidez das contas públicas brasileiras – Brasil, vocês sabem,  é aquele país que há nove anos pedia seguidos perdões (waivers) ao FMI e onde o presidente submetia os candidatos à eleição presidencial a concordarem publicamente com uma nova estendida de pires financeiro – como se vivêssemos no paraíso e, de lá para cá, governantes irresponsáveis nos tenham atirado na caótica situação de sermos a sexta economia do mundo.

Diz, por exemplo, que o superávit primário – aquele mesmo, que ela cantou em prosa e verso por anos a fio – não é nada, o problema é o déficit nominal, que é o resultado depois do pagamento de juros. De fato, os juros altíssimos pagos pelo nosso país – embora sejam a metade do que eram sob o genial (para ela) governo Fernando Henrique – são nosso maior problema macroeconômico, mas não foi ela própria quem vociferou contra a “precipitação” do Banco Central em começar a cortar estes juros, em agosto?

A não ser para quem aposta na “roda-presa”, quando o mundo desenvolvido ostenta dívidas públicas próximo aos 100% dos PIBs nacionais achar que o Brasil, que não tem a metade deste endividamento, deva se submeter a arrochos mais severos, cortar gastos sociais e sacrificar mais seu povo. Aliás, é no mínimo desmemoriado quem critica um déficit nominal de 2,36% do PIB enquanto não se recorda que este já chegou a inacreditáveis 14% do PIB, em 1999, quando a tucanagem imperava.

E “esquece” de citar que estes juros são pagos por uma dívida que, desde FHC, o Iluminado,  caiu de mais de 56% para 37% do PIB. Ou seja, a família devia mais da metade de sua renda, agora deve pouco mais de um terço. E está pior?

Fala também da carga tributária, que era de 29% em 1995 e hoje anda pelos 35% do PIB. Esquece que este crescimento se deu justamente sob Fernando Henrique,que disse, aliás, que  “essa coisa” de reclamar da carga tributária era “choradeira”:

- Como vai ter um Estado moderno, em um país pobre, sem tributo? – disse ele em 2007.

A musa do Milênium diz ainda que são absurdos os financiamentos do BNDES, que custam ao Tesouro mais do que rendem, mas não foi capaz de uma palavra quando estes financiamentos foram turbinados para financiar a compra – quase doada – do patrimônio público.

Textos como o de hoje é que explicam aquela frase de José Serra na campanha eleitoral. Pode não ter sido gentil, mas foi precisa:

- Mas que bobagem, Miriam…
Brizola Neto

2012 e "A Privataria Tucana"



Charge do Bessinha  Blog da Dilma

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Efeitos da Radioatividade!


Efeitos da radioatividade com o passar do tempo

Controlado incêndio em submarino nuclear russo



As autoridades russas anunciaram nesta sexta-feira que o incêndio em um submarino nuclear foi apagado e descartaram qualquer risco de vazamento radioativo no incidente, que, segundo analistas, afeta a capacidade de dissuasão nuclear do país.

O submarino nuclear K-84 'Ekaterimburgo' de 11.740 toneladas, um dos principais navios estratégicos russos, estava em reparos em um dique seco do estaleiro militar de Rosliakovo, ligado ao porto de Sveromosk (noroeste), porto da base da frota do Norte da Marinha russa.

O incêndio danificou parte do casco externo do submarino e começou à noite, ao que tudo indica, com o fogo em um andaime de madeira montado no dique.

As chamas foram apagadas, segundo o ministro russo das Situações de Emergência, Serguei Shoigu.

As autoridades informaram que nove pessoas foram hospitalizadas por uma "leve" intoxicação de fumaça.

"Uma parte da tripulação está a bordo do submarino e controla permanentemente os parâmetros de temperaturas e de dióxido de carbono", afirmou um porta-voz do ministério da Defesa.

Um comunicado do ministério das Situações de Emergência afirma que o nível de radioatividade no local do incêndio é normal e não representa uma ameaça para a população. Também garante que a bordo do "Ekaterimburgo" não havia nenhuma arma e que o sistema de propulsão nuclear foi desativado.

Segundo o analista militar Pavel Felguenhauer, o incêndio no submarino de classe Delta IV, segundo a classificação da Otana, afeta a capacidade de dissuasão nuclear russa.

"É uma catástrofe enorme. Ao que parece o navio não pode ser mais usado e, se for possível repará-lo, levarão anos", disse Felguenhauer.

"Perder um submarino nuclear estratégico, que ainda poderia ser usado por 10 a 13 anos, é um golpe importante para o potencial de dissuasão nuclear", completou, antes de lembrar que a Rússia tem seis navios do mesmo tipo.

Os submarinos de classe K-84 podem transportar 16 mísseis balísticos intercontinentais Sineva com alcance de 11.000 km.

O Kremlin anunciou que o presidente Dmitri Medvedev ordenou uma investigação completa do acidente.

O "Ekateriumburgo" entrou em serviço em 30 de dezembro de 1985, ainda no período da União Soviética.

Com 167 metros de comprimento e largura máxima de 12,2 metros, o "Ekaterimburgo" pesa 11.740 toneladas, mas em imersão chega a 18.200 toneladas. Pode chegar a uma profundidade de 400 metros e transportar até 130 tripulantes.

Em 2000, a Marinha russa sofreu um dos mais graves acidentes com um de seus submarinos. O drama, que chocou o mundo, aconteceu quando o submarino nuclear "Kursk" afundou com 118 tripulantes, que faleceram por falta de auxílio. A gestão do acidente por Vladimir Putin foi muito criticada.

Em outro incidente, em 2008, o sistema de combate de incêndio foi acionado de maneira inesperada a bordo do submarino Nerpa, no Oceano Pacífico, o que provocou a morte de 20 pessoas.
JB

Fantasmas

Tio Sam deu ao Brasil o melhor presente de Natal que o país poderia almejar.



O Brasil é um país muito estranho. De repente, não mais que de repente, como dizia Vinicius de Moraes, os Estados Unidos decidem abrir seu gigantesco mercado para o álcool brasileiro, a partir do próximo mês. E ninguém, comemora, os agricultores e usineiros ficam na muda, os jornais levantam possibilidades negativas, dizem que o preço do etanol vai subir e tudo o mais.

Caramba, que país é esse? Foi o melhor presente de Natal que a economia nacional poderia ter recebido. Depois de 30 anos de resistência, os norte-americanos se curvam à realidade e desistem da legislação protecionista que no governo Reagan adotou pesada tarifa contra o álcool importado especificamente do Brasil.

Nessas três décadas, o governo dos EUA insistiu na política protecionista, enquanto os agricultores plantavam extensas áreas com cana de açúcar nos Estados mais quentes, como Califórnia e Flórida. Mesmo assim, não conseguem competir com o etanol brasileiro.

A taxa de US$ 0,54 centavos por galão sobre o etanol que os Estados Unidos importam do Brasil acaba agora no Ano Novo, após o Congresso dos EUA ter entrado em recesso sem apreciar pedidos de parlamentares para renovar a tarifa. Por ironia, a derrubada acontece justamente quando as usinas brasileiras se encontram praticamente sem capacidade para disputar o mercado norte-americano. E, ainda por ironia, este ano o Brasil teve até de comprar etanol dos EUA.

Mas essa situação é passageira. Os subsídios pagos às distribuidoras que fazem a mistura de etanol à gasolina, que custam ao Tesouro dos EUA cerca de US$ 6 bilhões por ano, e a tarifa de US$ 0,54 sobre cada galão importado para o país impediam que o etanol brasileiro chegasse ao mercado dos Estados Unidos com preços competitivos, o que desestimulou os produtores brasileiros.

Além disso, os Estados Unidos usavam muito milho para produzir álcool, que sai muito mais caro do que o etanol da cana de açúcar. Em consequência, começou a faltar milho no país e o preço das rações disparou. Na verdade, o que conta é o baixo uso de energia fóssil para produzir a mais elevada quantidade de energia renovável possível, algo que a cana faz melhor do que qualquer outra matéria-prima.

Mas agora a conversa é outra. E a cana de açúcar vai preencher muita terra improdutiva por esse Brasil a fora, não somente para exportação, mas também para o consumo interno, que também está em expansão. E o mercado do etanol nos EUA é cada vez maior, com o sucesso dos carros flex por lá.

O único dado negativo de toda essa história é a desnacionalização do setor aqui no Brasil. Cientes do imenso potencial do álcool combustível brasileiro, investidores estrangeiros estão comprando as grandes usinas nacionais. Mas não faz mal. Com as fortunas que acumularam, os nossos usineiros podem reinvestir no ramo que tanto dominam, pois não faltará freguês em busca de etanol.

Mesmo com a sobretaxa de 54 cents, o negócio é tão bom que durante os últimos 30 anos o Brasil seguiu exportando álcool para nos Estados Unidos de duas maneiras: diretamente ou através do Caribe. Como não havia sobretaxa para o álcool caribenho, nossos navios seguiam para lá, faziam um pit-stop, trocavam a nota fiscal e seguiam para os States. Simples assim.

***
GARANTINDO A ESTOCAGEM

O governo federal agiu acertadamente ao abrir a possibilidade de conceder subsídios de até R$ 500 milhões por ano para estimular a formação de estoques de etanol no Brasil, segundo a Medida Provisória nº 554, publicada no “Diário Oficial da União” na segunda-feira.

Os termos destas operações ainda serão definidos pelo Conselho Monetário Nacional, mas o subsídio ficará disponível por um período de cinco anos, o que representa a disponibilização de recursos de até R$ 2,5 bilhões pela União no total. O objetivo do governo é estimular a construção de estoques do produto no Brasil para estabilizar a oferta em períodos de entressafra de cana e reduzir a volatilidade nos preços do etanol no mercado brasileiro.

Mas é claro que a ideia é ir além, muito além, rumo ao mercado norte-americano.
Carlos Newton   Tribuna

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

489 ônibus extras para a Região dos Lagos no réveillon


Para atender a demanda de passageiros durante o réveillon, a Rodoviária Novo Rio, na Zona Portuária da cidade, terá ônibus extras para a Região dos Lagos, um dos principais destinos no fim de ano. De acordo com a Auto Viação 1001, empresa que faz o transporte de passageiros para a região, estão previstos 762 ônibus para as cidades de Cabo Frio, Búzios, Arraial do Cabo, Saquarema, Araruama e Rio das Ostras. Desses, 489 são veículos extras.

Segundo a empresa, as passagens para a Região dos Lagos representam 35% de todo o movimento de saída do terminal. entre esta quinta-feira (29) e o sábado (31). A previsão é que, dependendo das condições do trânsito, novas saídas sejam disponibilizadas para atender a demanda.
Ainda de acordo com a Auto Viação 1001, o dia de maior movimento deve ser sexta-feira (30), com mais de 12 mil passageiros embarcando em 260 ônibus, sendo 177 extras para o litoral.
Ainda há passagens para todos os destinos. Os bilhetes podem ser adquiridos nas bilheterias da Auto Viação 1001, na Rodoviária Novo Rio, e também em outras rodoviárias e agências espalhadas pela Região Metropolitana.
G1

Chuvas fortes ameaçam norte e serra fluminense



Chuvas fortes atingiram na madrugada de hoje (29) municípios da região serrana e do norte fluminense. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, o município mais afetado foi Cordeiro, na região serrana, próximo à divisa com Minas Gerais.

De acordo com o meteorologista Lucio de Souza, em 24 horas, choveu um volume de 115 milímetros no município, sendo que em apenas uma hora choveu 38 milímetros (ml) na cidade. Apesar disso, a Defesa Civil do município não registrou nenhum problema.

Segundo a Defesa Civil municipal do Rio, chuvas de 25 a 50 ml por hora são consideradas fortes e podem ocasionar alagamentos e deslizamentos isolados.

“Outros municípios como Santa Maria Madalena e Itaperuna [no norte fluminense] também estão com taxas de chuvas acumuladas [em 24 horas] muito altas”, disse o meteorologista.

De acordo com o Instituto de Meteorologia, há ainda o risco de chuvas fortes ao longo do dia de hoje em todo o estado do Rio, em especial no norte do estado e na região serrana, já que há um acúmulo de nuvens sobre a região.

Segundo o superintendente operacional da Defesa Civil estadual do Rio de Janeiro, Luiz Guilherme, a população, principalmente aquela que vive em área de risco, deve ficar atenta para os alertas da Defesa Civil.

“Essa preocupação, nesse período de verão, tem que ser constante. As pessoas têm que estar atentas a qualquer mudança climática, a qualquer alarme que possa ser dado. Em caso de dúvida, o que nós orientamos é que as pessoas, dentro de cada município, procurem os órgãos municipais de Defesa Civil para qualquer esclarecimento”, disse.
EBC


Comentário: Vai completar um ano desde a tragédia do início de 2011 e nada foi feito na região serrana do Rio. Muitas áreas atingidas nem tiveram a demolição das casas condenadas, estradas que não foram refeitas e barreiras de contenção que não foram construídas ou reforçadas. Mais uma vez o governo do Rio mostra seu total descaso com a população...é o prenúncio de mais uma tragédia anunciada! 

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Livre da Ficha Limpa, Jader volta ao Senado

Jader Barbalho volta hoje a ocupar vaga no Senado

Cerimônia marcada para as 15 horas ocorre após Supremo barrar nova tentativa da senadora Marinor Brito de permanecer no posto


O peemedebista Jader Barbalho (PMDB-PA) volta hoje a ocupar uma cadeira no Senado Federal. Jader, que teve sua candidatura nas eleições de 2010 barrada pela Ficha Limpa, obteve no Supremo Tribunal Federal (STF) o direito de tomar posse diante da decisão que invalidou a norma naquele pleito. 

Na volta ao Senado, ele terá como colega nomes como o senador Pedro Taques, ex-procurador da República e integrante da força-tarefa do Ministério Público responsável pela prisão de Jader Barbalho por dez dias, em fevereiro de 2002, sob acusação de integrar uma quadrilha que teria desviado R$ 4 bilhões da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

A posse de Jader, marcada para as 15 horas desta quarta-feira, ocorre após o Supremo barrar os esforços da senadora Marinor Brito (PSOL-PA), que deixará a Casa na nova configuração. O mandado de segurança impetrado pela senadora teve liminar indeferida pelo ministro Carlos Ayres Britto, que está no exercício da presidência da Corte durante o fim de ano. Marinor contestava os trâmites da convocação do Congresso para realizar a posse durante o recesso.

Marinor assumiu a vaga de segunda senadora eleita do Pará no ano passado depois de terminar a votação em quarto lugar. Isso só foi possível porque os registros do segundo e do terceiro candidatos mais votados, Barbalho e Paulo Rocha, respectivamente, foram negados de acordo com a Lei da Ficha Limpa. Com a anulação dos efeitos da lei para 2010, eles se tornaram novamente elegíveis.

Na decisão que derrubou o pedido da senadora do PSOL, Ayres Britto declarou que a posse de Jader Barbalho durante o recesso parlamentar constitui “hipótese expressamente prevista” no Parágrafo 4º do Artigo 4º do Regimento Interno do Senado Federal”. O regimento dispõe que “durante o recesso, a posse realizar-se-á perante o presidente (da Casa), em solenidade pública em seu gabinete, observada a exigência da apresentação do diploma e da prestação do compromisso, devendo o fato ser noticiado no Diário do Senado Federal”.

No mandado de segurança, a defesa de Marinor Brito alegou que a Constituição Federal prevê que o Congresso Nacional só pode se reunir durante o recesso legislativo se houver convocação extraordinária ou, em caso de prorrogação da sessão legislativa. A senadora sustenta ainda que houve "abuso de direito", por parte do presidente da Mesa Diretora, José Sarney (PMDB-AP), ao comunicar, por meio de ofício, a reunião para a posse.
iG

Comentário: Olha que Senado dos sonhos - José Sarney, Fernando Collor, Renan Calheiros e Jader Barbalho... o Toninho Malvadeza (ACM) deve tá se revirando de inveja no inferno...satanás que se cuide!!!

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

IPVA 2012: CONFIRA NOVAS DATAS

Secretaria de Fazenda do RJ corrige datas de vencimento do IPVA de 2012


Finais de placa  Integral ou 1ª parcela         2ª parcela   3ª parcela
0                                  16/01                             17/02              19/03
1                                  19/01                             23/02              23/03
2                                  23/01                             28/02              29/03
3                                  25/01                             12/03              12/04
4                                  27/01                             14/03              16/04
5                                  08/02                             16/03              18/04
6                                  16/02                             22/03              23/04
7                                  24/02                             26/03              27/04
8                                  27/02                             28/03              30/04
9                                  08/03                             09/04              11/05



A Secretaria de Fazenda do estado do Rio de Janeiro corrigiu nesta segunda-feira (26) as datas de vencimentos do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2012. Segundo a secretaria, o vencimento da 1ª parcela da placa de final 7 passou a ser 24 de fevereiro e da 3ª parcela da placa 8 passou para 30 de abril. As demais datas permanecem as mesmas.

No início do mês, a secretaria havia divulgado que a primeira parcela a ser paga com carros com o número 7 no final venceria no dia 23 de fevereiro, e a última mensalidade da placa com final 8 venceria no dia 29 de abril.

Os proprietários de veículos no estado do Rio de Janeiro vão poder pagar o IPVA de 2012 em qualquer banco. Além disso, não serão mais cobradas as tarifas bancárias. As novidades foram anunciadas pelo secretário estadual de Fazenda, Renato Villela, na quarta-feira (21). O secretário também explicou que, em média, os valores do IPVA de 2012 caíram 5%, em função das variações de preços de mercado dos veículos automotores usados.

Os contribuintes que optarem pelo pagamento em cota única, com vencimento entre os meses de janeiro e março, vão ganhar um desconto de 10% sobre o valor do imposto. Também é possível fazer o pagamento parcelado em três vezes sem juros, porém sem o benefício do desconto.
As guias para pagamento do imposto poderão ser impressas através do site da Secretaria Estadual de Fazenda, do Detran-RJ ou no site do Banco Bradesco, a partir do dia 2 de janeiro, para quem tem IPVA em atraso, e a partir do dia 9 de janeiro para os demais contribuintes.
G1

Rodovias do RJ não terão novas placas para radares de velocidade

DER-RJ manterá placas antigas, mas novos radares não serão sinalizados.

O Departamento de Estradas e Rodagens (DER-RJ) informou que as rodovias do Rio de Janeiro não vão contar com novas placas de aviso sobre radares de fiscalização de velocidade. A medida atende à determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que não obriga mais os órgãos de trânsito a avisar aos motoristas onde estão os radares de velocidade em áreas rurais e urbanas do país.
De acordo com o DER-RJ, as placas que já existem nas rodovias estaduais não serão removidas. No entanto, caso seja instalado um novo radar, ele não terá sinalização.
Para Paulo Cézar Ribeiro, engenheiro de transportes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), as placas não são necessárias.

“Elas incentivam a pessoa a só cumprir a lei onde tem placa. Você tem que se comportar adequadamente. Não ultrapassar sinais, não exceder os limites, não trocar de faixa desnecessariamente”, disse.
Capital fluminense vai manter placas
A Prefeitura do Rio informou que vai continuar informando os motoristas sobre a existência de radares. Segundo a prefeitura, as placas já existentes nas vias da cidade não serão removidas.
G1

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Conta salário de acordo com a opção do servidor



Os 11 milhões de servidores públicos brasileiros de todas as esferas poderão, a partir da próxima semana, escolher em qual banco receberão seus salários e movimentarão suas contas correntes. É que entra em vigor em 2 de janeiro a portabilidade bancária para o funcionalismo.

O mecanismo é simples: a prefeitura, o governo do estado ou a União escolhem o banco em qual vão depositar o dinheiro. Mas ao servidor fica permitido que ele procure uma outra instituição para movimentar seu salário assim que for depositado. É a chamada portabilidade.
Os servidores são clientes cobiçados e podem tirar vantagens financeiras do novo mecanismo. Entre as quais, orientam especialistas, estão tarifas e juros menores, mais crédito e financiamentos de longo prazo para compra de casa e carro. “Primeiro, é preciso que o servidor defina qual o seu perfil e o que planeja, para depois iniciar a negociação”, orienta o economista Gilberto Braga, professor do Ibmec-RJ.

O chefe do departamento de normas do Banco Central, Sérgio Odilon dos Anjos, explica que os servidores poderão ir uma única vez no atual banco pagador e fazer o comando para a instituição, dizendo que preferem que o salário seja transferido no dia que ele chega, sem custo, para a instituição indicada.

A servidora da Fundação Leão XVIII Glória Maria Batista, de 53 anos, aprova a portabilidade: “Apesar de ter aberto obrigatoriamente conta no banco pagador, para mim é mais fácil fazer transações em outro, que tem agência do lado da minha casa”.

Já o servidor inativo da Secretaria Estadual de Segurança, João Thomé, de 78 anos, vai permanecer no Bradesco, seu novo banco pagador: “Abri a minha conta e vou aguardar para conhecer a nova instituição financeira”.

Como pedir a mudança de banco

O servidor interessado em trocar de banco deve entregar uma carta em próprio punho ao gerente e indicar no documento a nova instituição financeira.

O prazo para a formalização, de acordo com o Banco Central, é de cinco dias úteis após a entrega da carta ao banco.

A partir da alteração, o salário será transferido gratuitamente para a conta indicada. Para conferir as tarifas cobradas pelos bancos — veja acima alguns exemplos —, o servidor pode acessar o endereço www.bcb.gov.br/fis/tarifas/htms/bancossegmento03.asp?idpai=portalbcb.
O Dia

Feriados nacionais de 2012



Datas dos oito feriados foram publicadas no Diário Oficial da União desta segunda-feira


O governo federal divulgou nesta segunda-feira os dias de feriados nacionais e de pontos facultativos do ano de 2012 para cumprimento pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo. O primeiro feriado nacional é dia 1º de janeiro
Já os dias 20 e 21 de fevereiro (segunda e terça-feira de carnaval) é considerado ponto facultativo, assim como a quarta-feira de Cinzas (22 de fevereiro) até às 14h. 

Dia 6 de abril, sexta-feira em que celebra-se a Paixão de Cristo, também será ponto facultativo
O dia 21 de abril (sábado), é feriado nacional, dia de Tiradentes, e o dia 
1º de maio (terça-feira), Dia Mundial do Trabalho. 
O dia 7 de junho (quinta-feira), dia de Corpus Christi, é considerado também ponto facultativo. 
Os outros feriados são o dia 7 de setembro (sexta-feira), dia da Independência do Brasil; 
12 de outubro (sexta-feira), dia de Nossa Senhora Aparecida; 
28 de outubro (domingo), dia do Servidor Público (feriado da categoria);
 2 de novembro (sexta-feira), Finados; 
15 de novembro (quinta-feira), Proclamação da República; 
25 de dezembro (terça-feira), Natal. 
Os dias 24 de dezembro e 31 de dezembro (segundas-feiras) são ainda considerados ponto facultativo. 

Salário mínimo: R$ 622 a partir de janeiro


A presidente Dilma Rousseff assinou hoje (23) o decreto que determina o valor de R$ 622 para o salário mínimo a partir de janeiro de 2012.

O reajuste representa aumento de 14,13% em relação ao valor atual, de R$ 545. O decreto será publicado no Diário Oficial da União de segunda-feira, dia 26.

O método de reajuste do salário mínimo foi definido no início de 2010 por meio de uma medida provisória aprovada pelo Congresso. O valor é calculado com base na inflação dos dois anos anteriores, acrescido do percentual de crescimento da economia do ano anterior de sua validade. Pela primeira vez, o valor do reajuste obedece a esses critérios.

A MP também determina que até 2015 todas as definições sobre o valor do mínimo serão feitas por meio de decreto presidencial.
Luciana Lima  EBC  


Comentário: Só lembrando que este valor está longe do ideal, mas é algo em torno de US$350, no governo FHC era de US$65... enquanto isso aqui em Cabo Frio ainda tem funcionário público ganhando pouco mais de R$500 por mês - Cidade rica, mas povo pobre!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Cantanhêde, Gaspari e Kamel faltaram


Quinhentas pessoas compareceram na noite desta quarta-feira ao relançamento triunfal de “A Privataria Tucana” no Sindicato dos Bancários, em São Paulo.

Foi uma ideia vencedora do Instituto de Mídia Alternativa Barão de Itararé e seu presidente vitalício, Miro Borges.

Os expositores foram o Amaury Ribeiro Junior, delirantemente recebido pela plateia, Protógenes Queiroz, igualmente recebido com entusiasmo, e este ansioso blogueiro.

As moderadoras foram Maria Inês Nassif e Renata Mielli.

Não foram ao evento, apesar de especialmente convidados, com lugar reservado e tudo, a Catanhêde, Elio Gaspari, Judith Brito (que até hoje não foi receber o prêmio O Corvo) e Ali Kamel, o mais poderoso diretor de jornalismo da História da Globo.

Amaury contou que só teve a sensação de ter dado um nocaute quando abriu a Veja (isso é um perigo! Dá cancer de pele!) e a Veja não tinha nada para defender os tucanos.

Depois de apanhar tanto para escrever o livro, foi muito divertido constatar o silêncio cúmplice do detrito de maré baixa.

O meu livro é o grito – disse Amaury – dos que não aguentam mais a hegemonia dessa elite tucana paulista.
Eles se acham deuses porque estudaram Economia na PUC e aprenderam a lavar dinheiro em Harvard.

(A plateia foi ao delírio!)

Eles acham que faziam operações muito sofisticadas – conta o Amaury -, mas ficou demonstrado que eram operações fajutas.

Só são “sofisticadas” porque têm a blindagem do PiG.

(A plateia vem abaixo!)

Só vim a conhecer o Protógenes esta noite, aqui, talvez a noite mais emocionante da minha vida, contou ele.

E o Protógenes esteve lá: no Banestado, no BNP Paribas, na dívida externa.

São sempre os mesmos delinquentes.

São sempre os mesmos lavodutos.

Se a CPI for instalada, disse Amaury, vai chegar à midia.

Ela está lá e por isso está com medo.

A ação em que me indiciaram – conta Amaury – não foi para a frente.

Não deu em nada.

(A reportagem do jn do Ali Kamel sobre o Amaury, na eleição de 2010, só ela, disse o Amaury, dá um livro.)

O PSDB tem uma articulação muito forte dentro da Polícia Federal (alô, alô, Zé Cardozo, vai encarar A Privataria?) e no Ministério Público Federal, disse o Amaury.

(Brindeiro Gurgel, o senhor recebeu os 700 exemplares que o Edu Guimarães lhe mandou, através do Blog da Cidadania?)

Amaury observou que escreveram quatro livros para espinafrar o Lula e não venderam nada.

Ele, modestamente, em uma semana vendeu 120 mil exemplares.

A CPI da Privataria é o futuro, disse Amaury.

Este ansioso blogueiro pediu ao Amaury para refutar ali a principal crítica dos gatos pingados do PiG que ousaram enfrentá-lo: que o Amaury não prova o vínculo entre a roubalheira dos documentos e a privataria do Cerra e do FHC.

Disse o Amaury:

Por que o Carlos Jereissati paga uma propina ao Ricardo Sergio de Oliveira depois de ganhar a Telemar do Ricardo Sergio de Oliveira?

Por que o Daniel Dantas manda a irmã financiar a empresa da filha do Cerra em Miami (em Miami!) depois de o Ricardo Sergio e o FHC lhe concederem de mão beijada – sem botar um tusta – a Brasil Telecom?

Por que o Preciado, quebrado, cunhado e sócio do Cerra, foi salvo no Banespa, ganhou uma concorrência, e pagou propina ao Ricardo Sergio de Oliveira?

A filha do Cerra está para ser julgada por violação de sigilo.

Ela é ré do processo.

A sócia dela na empresa?

A irmã do Daniel Dantas que o Protógenes Queiroz não deixa de chamar de “banqueiro bandido”.

O Coaf arquivou (???) um processo de investigação de lavagem de dinheiro do Bourgeois, genro do Cerra, por lavagem de dinheiro. 

Quer mais?

Vamos ver na CPI, disse o Amaury.

Porque na CPI de 206 assinaturas (e não dá mais para tirar nome – nem colocar!) Protógenes pretende estabelecer o vínculo entre a Privataria Tucana de Cerra/FHC e a composição da dívida externa brasileira.

É aí que entram as CC5, o Anexo 4, o Banestado, o BNP Paribas e as malfadadas “moedas podres”.

Protógenes contou que, no âmbito da investigação do Banestado – o Dantas está lá, de mãos dadas ao Naji Nahas – foi ao Banco Central pedir os documentos que constavam dos processos de conversão da dívida externa brasileira. 

O funcionário do Banco Central disse: não existe mais o departamento que trata disso.

Foi extinto.

E os documentos?

Meu caro, se o departamento sumiu, o que o senhor acha que aconteceu com os documentos – foi a resposta que ouviu.

Protógenes investigava o Ministro da Fazenda Fernando Henrique e o responsável pela área externa do Banco Central, Armínio Fraga.

(O amigo navegante entende a ligação entre isso e o “chamar o Presidente às falas”, não é?)

E daí chegamos à privatização, observou Protógenes.

No livro, Amaury se vale do Aloysio Biondi (“O Brasil Privatizado”, editora Perseu Abramo) para demonstrar que o Cerra e o FHC PAGARAM para vender o patrimônio nacional.

Entre moedas podres e créditos subsidiados do BNDES, o Brasil pagou para vender a Vale e a Telebrás.

Este ansioso blogueiro limitou-se a lembrar que o livro do Amaury e a CPI do Protógenes tratam da maior roubalheira de todas as privatizações da América Latina!

O ansioso blogueiro lembrou que presidente do México que fez a privatização fugiu para a Irlanda e hoje vive escondido num bunker na cidade do México.

O presidente da Bolívia que fez a privatização saiu a correr para o aeroporto ao gritos de “assassino ! ” e fugiu para Miami (Miami!).

O presidente do Peru que fez a privatização está numa cadeia peruana.

O presidente da Argentina que fez a privatização arrumou um mandato de senador para escapar da cadeia.

E aqui …

Para encerrar, o ansioso blogueiro leu o post “Protogenes jogou a bomba do Riocentro no colo do Governo”.

Sobre o livro do Amaury e a blindagem do PiG, a melhor frase da noite foi do Gerson Carneiro: “a não propaganda é a alma do negócio”.

Paulo Henrique Amorim  Conversa Afiada

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Petrobras abrirá 17 mil vagas até 2015, 4 mil só em 2012



Oportunidades serão destinadas a candidatos de níveis Médio, Médio Técnico e Superior




 A Petrobras vai abrir 17 mil vagas no País até 2015. Das oportunidades, quatro mil serão já no ano que vem. Os dados estão no plano de negócios da companhia, divulgado ontem e adiantado pela coluna Concursos & Empregos no início do mês. 

A estatal planeja fazer dois processos seletivos por ano. Mas o número poderá ser ampliado, de acordo com a necessidade. Em 2011, foram feitos quatro concursos públicos.

As chances serão destinadas a candidatos de níveis Médio, Médio Técnico e Superior. “O maior número será destinado aos cargos de engenheiro, geólogo, geofísico, técnico de operação e técnico de manutenção”, afirmou Lairton Corrêa, gerente de Gestão do Efetivo da Petrobras.

A estatal criou um site para interessados em ingressar na indústria de petróleo, gás e energia e no setor naval. Ele direciona o internauta às informações sobre qualificação da mão de obra: www.profissoesdefuturo.com.br. 

Outra boa notícia para quem atende aos pré-requisitos é que as inscrições para o processo seletivo da BR Distribuidora vão até o dia 31. A oferta é de 90 vagas em níveis Médio e Superior. Os salários são de até R$ 6.217,19. Mais detalhes e edital completo no site www.cesgranrio.org.br.

Saiba como se preparar

ESTUDOS ANTECIPADOS
Mesmo que os editais de interesse não tenham sido lançados, é importante iniciar os estudos o quanto antes, apontam especialistas. De acordo com o diretor do Concurso Virtual, Marcelo Marques, o preparo deve começar pelas matérias mais cobradas nas provas, como Língua Portuguesa, Inglês e Matemática. 

DISCIPLINAS POR NÍVEL
“Em Língua Portuguesa, para os cargos de Nível Superior, o candidato deve se direcionar para os tópicos Compreensão e Interpretação de Textos, Ortografia, Morfologia e Sintaxe”, orienta Marcelo Marques. Já para os cargos de Nível Médio, segundo ele, serão cobrados os mesmos tópicos, mais Morfossintaxe, Sintaxe, Pontuação e Semântica.

PERFIL DA ORGANIZADORA
Em geral, a banca responsável pelas seleções da Petrobras é a Cesgranrio, que tem estilo semelhante ao da Fundação Carlos Chagas. “Em Atualidades, são cobrados elementos do cotidiano. Costuma-se utilizar gráficos e imagens, o que exige do candidato capacidade de visualização e de interpretação”, explica Marques. A banca distribui questões por todos os itens do edital, mantendo um nível homogêneo, de acordo com o professor.

DETALHES DA BANCA
As provas de Língua Portuguesa da Cesgranrio têm, normalmente, textos extensos e várias questões de interpretação. “Mas, ainda assim, as questões gramaticais são maioria, apesar de estarem normalmente vinculadas ao texto apresentado”, diz Rian Geraisste, professor de Português do Grupo Maxx Educacional. 

QUESTÕES DE PROVAS
Segundo Rian Geraisste, as questões gramaticais mais recorrentes em provas da organizadora são de Regência, Concordância e Crase, além de questões de Ortografia e uso de palavras que se confundem, como “porque”, “por que”, “porquê” e “por quê”. “Vale ficar atento, porque a disciplina que é o ‘Calcanhar de Aquiles’ da maioria e que mais reprova em concursos é Português”, alerta Geraisste. 

MATERIAL DE BASE
Interessados em ingressar na Petrobras podem ter acesso a provas e gabaritos de seleções passadas (2009, 2010 e 2011), disponíveis na Internet. O material serve como base. Veja: http://www.petrobras.com.br/pt/quem-somos/carreiras/concursos/.
O Dia

A Privataria Tucana: Merval ataca na CBN e o livro vende...


Acabo de ouvir o “debate” entre o imortal Merval Pereira e o âncora Carlos Alberto Sardemberg sobre o livro de Amaury Ribeiro Júnior na rádio CBN.

“A privataria tucana” é desqualificado como livro e seu autor acusado de ter sido um violador de sigilos fiscais dos parentes de José Serra, embora não haja ali um dado fiscal relativo a eles e todos os documentos sejam da CPI do Banestado, da Junta Comercial de São Paulo e de cartórios.

A argumentação sobre o livro é, basicamente, a seguinte:

1- Amauri não prova a ligação das boladas transferidas do exterior com a privatização das empresas públicas feitas no Governo FHC;

2- Não é crime ter empresas em paraísos fiscais, porque grandes empresas, como a Petrobras – que teria uma empresa na Holanda - as possuiriam também, para agilizar seus negócios e

3- As privativações já teriam recebido um atestado de honestidade pelo TCU, pela Justiça e pelas CPIs que as investigaram.

Ah, e um argumento pleno de “mérito”: as denúncias não seriam novas e Amaury é um homem processado por violação de sigilo.

Bem, de fato, não são novas. Porque faz anos que todos sabem, a começar pela grande imprensa, que as privatizações estiveram eivadas de pressões e negociações obscuras, “no limite da responsabilidade” como disse um de seus personagens.

O que o livro de Amaury Ribeiro faz de novo é provar, através de documentos, que existem situações inexplicáveis envolvendo seus personagens – e é bom lembrar que é o próprio FHC quem disse que ninguém fez mais pressão para privatizar a Vale e a Light que José Serra.

De fato, o livro não traz uma fotografia de alguém pegando um maço de dinheiro como nos panetones de Arruda. Até porque o montante dos negócios da privatização não era de milhões, mas de bilhões e não envolvia pequenos fornecedores, mas gigantes internacionais. Mas mostra o mecanismo usado para transferir recursos entre os beneficiários da venda das empresas e os supostos facilitadores do negócio.

Quanto a ter uma empresa em paraísos fiscais, é claro que muitos podem ter, seja uma empresa que faz negócios internacionais sejam aqueles que, por outras razões, as desejem ter, como fez o sr. Paulo Maluf nas Ilhas Jersey. Seria o caso de saber se Sardemberg e Merval seriam tão compreensivos se, por exemplo, a filha da então candidata Dilma tivesse uma delas, nas Ilhas Virgens.

Mas é intrigante e todos gostariam de saber destes atestados de honestidade e, sobretudo, das CPIs que investigaram as privatizações federais. Devo ter deixado de ler os jornais. Ao contrário, só soube que a CPI do Setor Elétrico foi enterrada por um acordão entre o PT, o DEM, o PSDB e o PMDB, além de pequenos partidos. A CPI da Vale, solicitada pelo Deputado Brizola Neto, não alcançou número para ser instalada e a da Telefonia… alguém viu?

Quanto ao fato de Amaury estar sendo processado por uma quebra de sigilo que ele nega e da qual não resultou exposto nenhum documento protegido por este segredo legal isso, no máximo, o igualaria à filha de José Serra, que também responde por quebra de sigilo – este, bancário – não de algumas ,mas de 60 milhões de pessoas e que, com provas categóricas, como a reportagem da Folha mostrada aqui, expuseram o que não tinham direito legal de expor.

Mas, como é fácil compreender, Merval e Sardemberg não tem limites quando se trata de defender as privatizações e José Serra. Não se ia esperar mesmo deles uma análise ponderada dos fatos. Mas, sim, uma visível “tabelinha” para desmoralizar o livro.

O problema é que, justamente por isso, “A Privataria Tucana” não pára de vender, mais e mais. Recebo uma informação da Geração Editorial de que já não são mais 100 mil, mas 120 mil os exemplares da tiragem até agora mandada rodar.

Repercussão que já cruzou o Atlântico e bateu lá no jornal português Ionline.
Tijolaço

PROFESSORES E SERVIDORES DA EDUCAÇÃO RECEBERÃO BÔNUS DE R$ 500


Depósito será feito nesta sexta-feira, 23


Professores e servidores da Secretaria de Estado de Educação receberão um bônus de fim de ano, no valor de R$ 500. O total investido será de R$ 36 milhões. A quantia será depositada nesta sexta-feira, dia 23.

Segundo o secretário de Estado de Educação, Wilson Risolia, a melhoria dos gastos na Seeduc, para que mais investimentos fossem revertidos para a categoria, foi uma das ações prioritárias anunciadas no início de 2011 como parte do planejamento estratégico da Secretaria para os próximos anos.

Risolia lembrou, ainda, que a decisão pelo bônus foi uma forma de reconhecimento à categoria, que tem colaborado para que a Secretaria atinja as metas estabelecidas, como reduzir a desigualdade da rede de ensino.

Em levantamento feito pela Seeduc junto a professores e servidores, foi constatado que 86% concordam com o planejamento estratégico que vem sendo realizado.

“Essa dedicação e compromisso merecem ser reconhecidos”, disse Wilson Risolia.

O secretário destacou que a Seeduc vem cumprindo a missão de valorizar a carreira. Além deste bônus (outro no mesmo valor foi concedido no fim de 2010), a categoria este ano foi contemplada com auxílio-transporte; auxílio-qualificação; formação continuada para docentes, com bolsas de estudo de R$ 300; aumento do valor da GLP em 70%; mais de 12 mil enquadramentos em 2011 (o dobro do número de 2010); e mais de dois mil enquadramentos por formação referentes ao segundo semestre de 2011, que serão pagos nas primeiras semanas janeiro.

Na volta às aulas, em fevereiro de 2012, a categoria ganhará, também, a Escola Seeduc, voltada para cursos exclusivos para professores e servidores.

“Nossos docentes, e a Secretaria, merecem comemorar. Este ano, demos início à inclusão do currículo mínino na rede e às avaliações, que estão sendo copiadas por outros estados. Tivemos média de 77% de participação no Saerjinho. O que mais devemos dizer aos professores e servidores é: muito obrigado”, afirmou o secretário.

Comentário: Como sempre o sec. Risoles (de camarão, que tem M* na cabeça), só fala do que é conveniente para sustentar a grande farsa do plano de metas e da educação estadual do rio de Janeiro. Esqueceu de falar em reajuste salarial para professores e funcionários, esqueceu de falar que esses R$500 é verba do fundeb(gov. federal) e portanto TEM que ser utilizada para pagamento dos servidores da educação, esqueceu de falar como será gasto a verba com educação em 2012 (vai continuar pagando aluguel me valores absurdos para ar-condicionado e computadores?)...se o salário fosse digno, não seriam necessários os penduricalhos que o governo está inventando.
Esqueceu de dizer como e quanto o seu plano de metas e a adesão ao saerjinho modificaram (para melhor) as notas e a posição do Rio de Janeiro no Ideb e outros mecanismos de avaliação nacional. Tudo muito conveniente.

Charge do Alpino (Yahoo Brasil)

Os EUA podem reclamar à vontade, mas quem manda na Coreia do Norte é a China. E estamos conversados.

Ditador tem certas prioridades. Por exemplo, o norte-coreano Kim Jong-il, que era chamado de líder, morreu no sábado, mas o fato foi mantido em segredo até a segunda-feira. Certamente o objetivo foi evitar que a população aproveitasse o fim de semana para comemorar, digo, para chorar (lágrimas de crocodilo), pois todo mundo sabe como o velho Jong-il era amado.
Tão amado que está sendo substituído pelo filho Kim Jong-um, que já ganhou apoio da China, os Estados Unidos podem reclamar a vontade, mas estamos conversados. O presidente dos EUA, Barack Obama, ressaltou na segunda-feira seu compromisso com a defesa de seus aliados mais próximos, como o Japão, em tal momento de incertezas. A posição de Obama foi transmitida ao premiê japonês Yoshihiko Noda, em uma conversa por telefone, segundo a Casa Branca.
A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, expressou preocupação com o futuro da Coreia do Norte. “Estamos extremamente preocupados com o bem-estar do povo norte-coreano”, disse Hillary em um comunicado oficial, acrescentando que os Estados Unidos estão dispostos a ajudar na segurança local.
A chefe da diplomacia americana já havia destacado que desejava melhorar as relações com o povo norte-coreano após a morte do ditador. “Temos um interesse comum em uma transição estável e pacífica na Coreia do Norte, assim como na paz e na estabilidade regional”, afirmou após encontro com o ministro japonês Koichiro Gemba.
Os americanos podem se preocupar à vontade, fazer jogo de cena e tudo o mais. Os Estados Unidos alardeiam que a morte do ditador-líder ocorreu em um momento-chave no qual Washington e Pyongyang negociavam a provisão de ajuda humanitária ao regime comunista e tentavam retomar as conversas de seis lados sobre o programa nuclear norte-coreano.
Kim Jong-Il morreu, o país iniciou um período de luto até o dia 28, quando acontecerá o funeral, e só está faltando alguém ter a idéia macabra de mumificá-lo tipo Lenin, para ser eternamente reverenciado. O filho balofo, que é uma espécie de Baby Doc oriental, vai sucedê-lo, sob os auspícios de Beijing. Quem manda na Coreia do Norte é a China. O resto é paisagem, como dizia Erico Veríssimo.
Carlos Newton   Tribuna