quarta-feira, 30 de novembro de 2011

A “política de segurança” de Sérgio Cabral deixa recrutas da PM sem a menor estrutura

A política de “pacificação” das favelas, que inclui acordos entre o corrupto governador Sérgio Cabral e os traficantes, está forçando a formação a jato dos policiais militares destinados às Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), sem a menor estrutura e que vêm recebendo críticas de diversos setores dentro e fora das forças de segurança do Estado. Eles são conhecidos como “policiais miojo” dentro da tropa, por conta da formação de baixa qualidade, bem ao estilo do atual péssimo governo do Rio de Janeiro.
Entre as principais reclamações, segundo o coronel da PM Paulo Ricardo Paúl, estão a falta de materiais e estrutura para a realização do curso e o fato de alguns agentes irem para as ruas sem ter recebido a oportunidade sequer de treinar tiro adequadamente. O governo do Estado liberou aproximadamente R$ 23 milhões para a contratação de professores, mas para as autoridades essa total não é suficiente.
O ideal seria que este dinheiro fosse investido na formação de uma outra forma, segundo o coronel, “uma vez que existem inúmeros policiais da ativa com qualificação para ministrar as aulas dos cursos de formação e reciclagem, que poderiam receber algum incentivo, a título gratificação, para eles se dedicarem exclusivamente à função”.
De acordo com o coronel Paulo Ricardo Paúl, a situação do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap) é crítica. “Por conta da necessidade de inaugurar UPPs a toda hora, existe uma demanda muito maior do que o Cefap pode atender. Os alunos estão fazendo o curso todo, de seis meses, sem uniforme. Compram camisa branca, uma calça jeans e um tênis e assistem aula assim. Várias turmas ainda não se formaram porque não receberam a farda correspondente. Além disso, às vezes falta munição para pistola calibre 38, outras vezes para outras armas”.
O coronel salienta que até para se alimentar os recrutas enfrentariam dificuldades. “O Cefap tem mais de 3.500 recrutas. É tanta gente que, até para almoçar ou jantar, eles ficam mais de uma hora na fila, pois o rancho não comporta todo mundo”.
Infelizmente, com esta preparação deficiente, sem apoio psicológico, muitos destes recrutas, por culpa do governador Sérgio Cabral, poderão enveredar pelo crime, mormente pelos locais onde terão que desempenhar suas funções e as facilidades que lhes serão oferecidas.
Paulo Peres    Tribuna da Imprensa

PMDB ganha mais um grande reforço no Senado: Jader Barbalho, um parlamentar verdadeiramente de ficha suja.

Com a posse do senador João Capiberibe (PSB-AP), a bancada do PMDB, maior partido do Senado, cai para 17 senadores. Mas logo voltará a ter 18, com a volta de Jader Barbalho, beneficiado pela prorrogação da entrada em vigência da Lei da Ficha Limpa, graças ao voto de desempate do ministro Luiz Fux no Supremo Tribunal Federal, é bom não esquecer.
Na verdade, o PMDB tinha 19 senadores, mas no início do mês, o partido perdeu uma cadeira com a chegada de Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), também beneficiado pelo voto de Fux. Como se sabe, Capiberibe, Cunha Lima e Barbalho tinham sido barrados pela Lei da Ficha Limpa, mas conseguiram ser empossados depois que o Supremo decidiu que a norma não valeria para a eleição de 2010.
Agora, o PMDB quer atrair mais três senadores. O senador Clésio Andrade (PR-MG) já está certo. Espera apenas o resultado de uma consulta feita ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para assinar a nova filiação, porque a legislação atual proíbe troca-troca de partidos, mas sempre há alguma brecha na lei.
Segundo o repórter Marcio Falcão, da Folha, os senadores Blairo Maggi (PR-MT) e Antonio Russo (PR-MS) também estão na mira do PMDB, mais precisamente do grupo do líder do Senado, Renan Calheiros (AL), vejam só a quem o partido entrega a liderança. Mas essas negociações são consideradas mais delicadas.
O PMDB na verdade é um retrato perfeito da política brasileira. Suas bancadas são uma espécie de salada mista, reunindo fichas limpas, sujas e enxovalhadas. Em meio a essa confusão ética e ideológica, o chamado G8, grupo de senadores independentes do partido, tenta marcar presença. Dele fazem parte os senadores Jarbas Vasconcelos (PE), Pedro Simon (RS), Luiz Henrique (SC), Casildo Maldaner (SC), Roberto Requião (PR), Waldemir Moka (MS), Ricardo Ferraço (ES) e Eduardo Braga (AM), que às vezes fazem moderada oposição ao governo.
É desanimador constatar como a política brasileira é hoje uma atividade menor, comprovando que os três poderes estão realmente podres, já que Executivo e Judiciário também passam ao largo da ética. O único dado capaz de animar os analistas é o bom desempenho da economia, em meio à crise mundial, comprovando um velho ditado que hoje pouca gente lembra: “O Brasil cresce à noite, quando os políticos estão dormindo e não conseguem atrapalhar”.
Carlos Newton   Tribuna da Imprensa

Sepe fará passeata contra fechamento das escolas estaduais noturnas na Praia de Copacabana no domingo (dia 4/12

Sepe convoca os profissionaisalunos e responsáveis das comunidades das escolas estaduais noturnas ameaçadas defechamento pela Secretaria de Estado de Educação para uma grande passeata na Praia de Copacabana, no domingo (dia4 de dezembro), a partir das 10h. A concentração para a marcha está marcada para a Avenida Atlântica, em frente aoCopacabana Palace.
Sepe

MEC corta quase 4 mil vagas em odontologia, farmácia e enfermagem

O Ministério da Educação cancelou 3.986 vagas em 148 cursos superiores de odontologia, enfermagem e farmácia de instituições de 24 estados brasileiros. Esses cursos terão a oferta de vagas reduzidas nos seus processos seletivos. O despacho da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior foi publicado no "Diário Oficial da União" desta terça-feira (29).
O corte de vagas faz parte das medidas cautelares tomadas contra as instituições em decorrência do desempenho insatisfatório no Conceito Preliminar de Curso (CPC) de 2010. Entre as penalidades está a perda de autonomia das instituições de ensino superior, mas apenas em relação aos três cursos.
Mais da metade das vagas cortadas pelo anúncio desta terça-feira é dos cursos de enfermagem. A redução na oferta foi de 2.572. O MEC cortou 307 vagas em odontologia e 1.107 em farmácia. Os cursos afetados pelas três portarias publicadas correspondem a cerca de um terço do total de cursos com índice 1 e 2 no CPC aplicado em 2010. O índice varia de 1 a 5, sendo que qualquer resultado abaixo de três é considerado insatisfatório e passível de medida cautelar.

sábado, 26 de novembro de 2011

A estranha polaridade entre os átomos


Certos elementos atraem elétrons com mais força do que outros, e por esta razão os pesquisadores sempre acreditaram que somente as moléculas feitas de elementos diferentes é que podiam alcançar o arranjo assimétrico eletrônico conhecido na química como momento de dipolo permanente. Essa ideia caiu por terra com um novo estudo publicado pela revista Science em que é afirmado que as moléculas feitas do mesmo elemento – neste caso, o rubídio – também podem participar deste tipo único de polaridade.
Segundo o pesquisador Weibin Li e sua equipe, foi descoberta recentemente uma molécula que envolve um átomo de rubídio em seu estado fundamental e outro com um elétron de valência altamente excitada que foi unido por uma ligação eletrônica assimétrica entre os átomos. Vale explicar aqui que, durante o estado excitado, o elétron está em um novo nível de energia, enquanto o átomo em estado fundamental continua no estado original.
Li e seus colegas descrevem a nuvem de elétrons excitados do átomo (na foto abaixo) como uma extensão exterior tão forte que o outro átomo que em seu estado fundamental fica essencialmente subordinado dentro dela. Com base nesta geometria incomum, a molécula de rubídio adota um momento de dipolo permanente e atrai muito mais elétrons.
 Estadão

Eleições para diretores: Diretas Já!

Secretário Estadual de Educação, Wilson Risolia, é questionado sobre o fim das indicações políticas nas escolas durante audiência da Comissão de Educação da Alerj

video


http://www.youtube.com/watch?v=94nQY60nY-Y&feature=related

Eduardo Paes é um prefeito tão irresponsável que faz o carioca sentir saudades de Cesar Maia.


É impressionante o que está acontecendo no Rio de Janeiro. Temos um prefeito insano, com evidentes distúrbios mentais, e não aparece um psiquiatra para tratá-lo, ninguém chama uma ambulância, nada, nada. E assim Eduardo Paes continua despachando normalmente na sede da Prefeitura, assinando papéis, dando ordens e tudo o mais.
Enquanto Nero se divertia incendiando Roma, Eduardo Paes procura prazeres diferentes. Excita-se com a possibilidade de derrubar o gigantesco Viaduto da Perimetral, erguido há décadas pelo grande prefeito Marco Tamoio para desafogar o trânsito no Centro da cidade. No lugar do elevado, Paes está incentivando a construção de uma gigantesca via subterrânea, que, em sua santa ignorância, ele chama de “túnel”, ora vejam  só.
Como foi criado e mora na Barra da Tijuca, o prefeito nem conhece direito o Rio de Janeiro. Nas últimas semanas, mandou fazer obras na zona portuária e criou um engarrafamento permanente na estratégica entrada do Centro do Rio, de enlouquecer qualquer motorista. Com a demolição do elevado, o trânsito ficará permanentemente engarrafado até Caxias ou Nova Iguaçu, no mínimo. Mas Paes não está nem aí, vai imitar Nero e tocar cavaquinho no farol da Barra.
Em entrevista à rádio CBN, ele pediu desculpas à população pelos transtornos causados pelas obras de revitalização do porto e também por outras frentes de trabalho, como a construção dos corredores expressos de ônibus Transoeste e Transcarioca. Para justificar engarrafamentos desnecessários, Paes voltou a usar a expressão de que “para fazer uma omelete, tem que se quebrar os ovos”. Quanta originalidade…


Suas soluções são geniais. Onde existe um elevado, passará a existir a via subterrânea que ele chama de “túnel”. O elevado será demolido pela Prefeitura, que não tem nem noção de quanto vai gastar. Mas o criativo Eduardo Paes já encontrou solução: “O valor ainda está sendo orçado, mas acredito que a despesa possa ser amortizada com a venda do concreto e do aço que sobrarem do desmonte”. Caramba, ele deveria ser nomeado para o Ministério da Fazenda, pois daria solução imediata para qualquer financiamento de obra.
Diante desse quadro, fica comprovado que se trata de um débil mental. A única solução para os cariocas seria retirá-lo da Prefeitura, na próxima eleição de outubro. Mas será muito difícil isso acontecer, porque o tresloucado prefeito tem apoio total do governador Sergio Cabral, da presidente Dilma Rousseff e de toda a base aliada. Fenando Gabeira já desistiu de enfrentá-lo nas urnas, Cesar Maia, também, os dois já anunciaram que serão candidatos a vereador.
Sinceramente, jamais pensei que fosse sentir saudade de Cesar Maia na Prefeitura do Rio. Foi ele quem inventou Eduardo Paes e o colocou na política, ao nomeá-lo administrador da Barra da Tijuca. O resultado aí está. A grande diferença entre os dois é que Cesar Maia assume que é maluco, entra em açougue para comprar sorvete e usa agasalho no alto verão, enquanto Eduardo Paes finge que é sadio e faz loucuras muito piores.
Carlos Newton   http://www.tribunadaimprensa.com.br/

Brasil restringe fumo, mas não combate analfabetismo


Ao lembrar que o Congresso Nacional aprovou, nesta semana, restrições ainda mais severas ao fumo - proibindo inclusive os chamados fumódromos -, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) questionou por que o país é capaz de adotar decisões como essa, mas não adota medidas mais drásticas para acabar com o analfabetismo.
- Se somos capazes de proibir os fumódromos, por que não somos capazes de organizar a energia que este país tem para resolver um problema tão dramático e vergonhoso? - protestou.

Para Cristovam, o problema do analfabetismo no Brasil "é quase do mesmo nível do que era a escravidão no século passado". Ele afirmou que "é triste constatar que, após dois governos de presidentes vindos da esquerda, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, o número de analfabetos, no Brasil, praticamente não diminuiu".

- Faz mal à saúde das pessoas e faz mal à saúde do país ter adultos que não sabem ler - lamentou.

Ao citar um dos diversos problemas provocados pelo analfabetismo, o senador disse que uma parte dos acidentes de trabalho, por exemplo, decorre do fato de que muitos trabalhadores não sabem ler os avisos que alertam para eventuais perigos.

- Há trabalhadores da construção civil que caem de prédios porque não souberam ler um aviso corretamente. Cerca de 13 milhões de brasileiros não sabem decodificar a palavra "perigo" - ressaltou.

Por essa e outras razões, reiterou Cristovam, é necessário considerar o analfabetismo um assunto tão grave quanto o fim do tabagismo, a proteção das reservas florestais e a abolição da corrupção.
Link, Discurso na íntegra
http://www.cristovam.org.br/portal2/index.php?option=com_content&view=category&id=27&layout=blog&Itemid=100072

Cristovam Buarque

Mr. Teixeira e Globo dão o Brasileirinho ao Corinthians


Duas rodadas antes de acabar o Brasileirinho da Globo, sai a notícia sobre quem passa a mandar na CBF e, portanto, no Brasilerinho e nas duas rodadas que faltam:

Saiu na capa de seção de Esportes do Globo:

“Começou a sucessão”.

“Ricardo Teixeira nomeia Andrés Sanchez diretor de seleções da CBF e presidente do Corinthians surge como nome mais forte para assumir o comando da entidade em 2015.”


NAVALHA!
Vamos ver como se sairão os juízes nos dois últimos jogos do Brasileirinho.
Vamos ver quem quer ser juiz brasileiro na FIFA.
Como se sabe, Mr. Teixeira tem agora a Justiça da Suíça e brasileira em seu encalço.
O PRB, sob a presidência de Marcos Pereira, entrou no Ministério Público para destronar o Mr. Teixeira da Comissão brasileira que organiza a Copa.
Tem muito dinheiro público envolvido, pondera, sensatamente, o Marcos.
Por que não fazer como a França e a Alemanha que, em lugar de um Mr. Teixeira, nomearam Platini e Beckenbauer ?
O que a PF e o MPF têm a ver com essa nomeação antecipada do Sanchez ?
Mistério profundo.
Agora, uma coisa é certa.
A Globo deve estar muito feliz.
O que é melhor para a Globo ?, amigo navegante ?
Um Corinthans campeão, ou o Vasco e o Fluminense ?
Golpe de mestre !
(O Sanchez é aquele que chama a Globo de conjunto de gangsters. Clique aqui para ver. Eles se amam !)
Viva o Brasil !
Paulo Henrique Amorim

Denúncia: SEEDUC já começou a promover o fechamento de escolas noturnas estaduais


Ontem, vários profissionais de educação que trabalham no Colégio Estadual Francisco Cabrita (Avenida Melo Matos 34 - Tijuca) tiveram uma desagradável surpresa quando foram abrir as novas contas dos servidores do Estado no Bradesco e foram informados pelos funcionários do banco que eles não estão mais lotados nesta escola e, sim, na Escola Estadual Herbert Viana. A informação é uma confirmação clara de que o projeto do secretário de Estado de Educação, Wilson Risolia, de promover o fechamento de dezenas de escolas estaduais noturnas começou, sem qualquer aviso prévio para as comunidades escolares.

Ao promover o fechamento de escolas e a transferência de profissionais e alunos para outras, a SEEDUC, mais uma vez, demonstra toda a sua insensibilidade e o seu descompromisso para o processo pedagógico dos alunos e mostra também não ter nenhuma sensibilidade ao fechar uma escola que atende alunos de uma das comunidades da Tijuca, transferindo estes alunos para uma outra unidade, localizada em área de difícil acesso  e mais distante das suas residências - no topo de uma ladeira, que fica no do morro do Turano, o que pode criar problemas de acesso para os alunos que estudavam na Francisco Cabrita, muitos deles com idades avançadas e que terão que subir uma ladeira para poderem continuar estudando.

A comunidade escolar, ao ficar ciente do fechamento da sua escola, avisou que não irá aceitar a transferência e irá se mobilizar para reverter a situação.
Sepe 

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Haddad confronta Dilma com proposta de novo kit gay

Ministro da Educação propõe nova versão de programa dirigido a escolas públicas considerado "inadequado" pela presidente

Seis meses após o veto da presidente Dilma Rousseff ao chamado "kit gay", proposto pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, o político volta à carga com proposta de uma nova versão do material, que seria distribuído a estudantes do ensino público.
A nova versão incluiria, segundo o deputado Jair Bolsonaro, cota de professores gays no ensino público na tentativa de combater o preconceito contra homossexuais nas escolas. Além disso, seriam distribuídos cartilhas, cartazes e vídeos para 6.000 escolas do ensino médio, sem que a Câmara dos Deputados fosse chamada ao debate sobre a pertinência do material.
E vai contra mais uma vez à posição da presidente quando da proposta do primeiro kit.
À ocasião do veto da primeira versão do kit, o secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, apontou que "a presidente Dilma não gostou dos vídeos, achou o material inadequado, e determinou que não circule oficialmente. Estão suspensas todas as produções de materiais que falem dessas questões".
A proposta vem em meio à maior crise atravessada pelo Ministério da Educação e igualmente junto ao anúncio da candidatura de Haddad à Prefeitura de São Paulo. Polêmicas não faltam na trajetória do político.
No mais recente Enem, foi descoberto que 14 questões do exame, que mobilizou os estudantes do país nos dias 22 e 23 de outubro, já haviam sido aplicadas num simulado realizado pelo colégio Christus de Fortaleza duas semanas antes. Depois de muitos protestos e discussões, as questões foram canceladas para os alunos do colégio cearense.

O episódio lembrou outro, ainda mais grave, quando em 2009, a prova foi anulada depois de ter sido roubada. As questões foram roubadas de uma gráfica e os ladrões tentaram vendê-las para a imprensa antes da realização da prova.

A descoberta da fraude levou ao cancelamento do Enem. A prova foi totalmente refeita e remarcada, o que teria causado um prejuízo de R$ 46 milhões aos cofres públicos.

Na ocasião, o então presidente do Inep (Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais), Reynaldo Fernandes, deixou o cargo. A marcação da segunda prova levou os estudantes a protestarem nas ruas contra a confusão - as novas datas coincidiam com alguns vestibulares - e a abstenção chegou a 1,5 milhão de inscritos.

Ainda este ano, o ministro se viu mais uma vez no centro da polêmica como alvo por causa de um livro didático distribuído pelo governo em mais de 4.000 escolas com erros intencionais de concordância, para aproximar os alunos da língua popular.

Entre os erros gramaticais e incorreções, frases como “nós pega o peixe” ou “os menino pega o peixe”. O ministro defendeu a publicação e reagiu contra seus críticos.

LEIA: Com Haddad MEC acumula crises e escândalos

Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres


Este post é uma contribuição à blogagem coletiva organizada por Blogueiras Feministas para o 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres, data que honra a memória de Patria, Minerva e Maria Tereza Mirabal, dominicanas líderes da luta contra Trujillo e assassinadas a mando do ditador. Ao longo do dia, uma série de blogs linkarão para o Blogueiras Feministas e, no Twitter, os posts serão divulgados com a tag #FimdaViolênciaContraMulher. Haverá manifestações em diversas cidades brasileiras e, via Cynthia Semíramis, deixo às conterrâneas e conterrâneos as coordenadas da reunião de Belo Horizonte: ela acontece às 15 horas, em frente ao Tribunal de Justiça-MG, ali na Afonso Pena, 1420, pertinho do Palácio das Artes. Em Porto Alegre, haverá um flashmob a partir das 11h, no Largo Glênio Peres, em frente ao Mercado Público. O meu antigo blog, o Biscoito Fino e a Massa, começou a participar desta conversa em 2005 e pretendo continuar a tradição aqui na Fórum.
Blog do Avelar